10 de set de 2012

CARTA AOS EFÉSIOS 1.Efésios foi escrita em Roma em 64 d.C., foi levada por Tiquico, junto com Colossenses e Filemon. Ela contém a mais elevada verdade da igreja, mas nada diz sobre a ordem na igreja. Em Roma, Paulo estava oficialmente sob custódia. Mas, embora seus movimentos fossem restritos, e continuou a orientar a igreja a pregar o evangelho. Efésios é dirigido a um grupo de crentes que tem riquezas espirituais sem medidas em Cristo. Três pensamentos principais aparecem nesta epístola: 1)a posição exaltada, pela graça de Deus do crente, 2) a verdade concernente ao corpo de Cristo, 3)e o andar condigno com essa posição. 2. PALAVRA-CHAVE – Edificando o corpo de Cristo. Efésios enfatiza a responsabilidade do crente em andar de acordo com a vocação que foi chamado em Cristo (4.1), não foi escrito para corrigir erros da igreja, mas para prevenir problemas na igreja como um todo, encorajando o corpo de Cristo a amadurecer nele. 3. VERSOS-CHAVE – Ef 2.8-10 e 4.13 4. CAPITULO-CHAVE – Ef 6 5. ANALISE DE EFÉSIOS 1 PARTE – DOUTRINÁRIA ( 1 a 3) 1. Os propósitos de Deus concernentes ao Cristo pessoal, e a oração do apóstolo, 1 2. Os crentes, os objetivos dos propósitos e das orações, 2.1-10 3. Os propósitos de Deus concernentes ao Cristo místico, e a oração do apóstolo,2.11a 3.19 2 PARTE – PRÁTICA (4 a 6) 1. A vocação da igreja, 4.1-16 2. Conduta da igreja, 4.17 a 6.9 3. O conflito da igreja, 6.10-20 4. Conclusão, 6.21-24 A espistola aos Efésios leva-nos às maiores alturas da posição cristã. É, como bem se entende, a epistola dos lugares celestiais. Cristo está assentado ali, e nós estamos sentados com Ele. 6. CARTA AOS FILIPENSES Esta é uma das cartas mais pessoais do apostolo Paulo, escrita provavelmente no ano 64 d.C. o motivo é referido em 4.10-18. A carta é um recibo: o mais belo recibo em toda a literatura. Paulo escreve uma nota de agradecimento aos crentes em Filipos pela ajuda nas horas de necessidade, e ele aproveita a ocasião para enviar algumas instruções sobre a unidade cristã. Seu pensamento central é: somente em Cristo a verdadeira unidade e alegria são possíveis. Filipenses é uma epistola de alegria e encorajamento em meio às circunstâncias adversas. O tema é “experiência cristã”. Há algumas características notáveis: a) Não há nenhuma citação do Antigo Testamento; b) A palavra “gozo” ou “regozijo” se encontra em cada capitulo; c) O espírito é mencionado apenas três vezes, 1.19; 2.1; 3.3 d) Esta epistola contém menos censura e mais louvor do que qualquer outra; As divisões correspondem aos capítulos: 1) Cristo, a vida do crente; regozijo no sofrimento; 2) Cristo, o exemplo do crente; regozijo em humildade e serviço; 3) Cristo, o objetivo do crente; regozijo, apesar das imperfeições; 4) Cristo, o poder do crente; regozijo, apesar da ansiedade 7. Palavra-chave: viver é Cristo, 1.21 8. Versos-chave, 1.21 e 4.13 9. Capitulo-chave, 2 10. ANALISE DE FILIPENSES 1. Introdução, 1.1,2 2. O feliz descanso da vida cristã, 1.3-26 2.1. Descanso na promessa do passado, 3.11 2.2. Descanso no propósito do presente, 12-18 2.3. Descanso no plano do porvir, 19-26 3. O ideal sublime da vida cristã, 1.27 a 2.30 4. A energia piedosa da vida cristã, 3.1. a 4.1 5. A grande superioridade da vida cristã, 4.2-20 5.1. O seu altruísmo, 2.7 5.2. A sua espiritualidade, 8.9 5.3. A sua eficiência, 10-20 6. Conclusão, 4.21-23 Filipenses é a carta de um amigo aos amigos. Os cristãos filipenses tinham enviado um donativo, por mão de Epafrodito, ao apostolo encarcerado, e esta carta é uma acusação do seu recebimento. Tem sido dito com razão: “Na epistola a Filemom vemos como o apostolo pede um favor; na epistola aos Filipenses vemos como ele agradece um favor. “A primeira visita de Paulo a Filipos foi em 52 d.C., e suas experiências ali são detalhadas no livro de Atos. Foi uma visita frutífera, e quando o apostolo seguiu para Tessalônica deixou atrás o núcleo de uma robusta igreja. A epistola foi escrita uns dez anos depois da primeira visita. É uma carta, não de condenação, mas de elogio; contudo podemos discernir, através de sua linguagem amável, uma ligeira repreensão. Parece que Evodia e Sintique ocupavam lugares de destaque entre os crentes em Filipos, e que estavam em desacordo. Por isso o apostolo, quando agradece a dádiva, aproveita a ocasião para exortar a todos a que sejam unânimes e humildes, e para tanto cita o exemplo de Cristo. A nota principal da epistola, porém, é a de regozijo, e, indiretamente, ela mostra que há um gozo que será a experiência normal do crente; um gozo que temos e circunstâncias não podem abalar. “Regozijai-vos sempre no Senhor, e outra vez vos digo: regozijai-vos” 11. CARTA AOS COLOSSENSES Assim como uma criança necessita de instruções apropriadas em seus primeiros anos de vida, os primeiros cristãos também precisaram ser guiados no caminho adequado, por meio de ensinos corretos. O apostolo Paulo escreveu esta carta para tratar de uma heresia doutrinária que se estava infiltrando na igreja de Colossos. Temos aqui o maior tratado de Cristologia do Novo Testamento, Paulo mostra que em Cristo habita toda a plenitude da divindade – Cl 2.9, os colossenses tinham uma preocupação exagerada pela observância de ritos e cerimônias, e também se davam licença para usar, de alguma forma, da adoração aos anjos. 12. Palavra-chave: A primazia de Cristo, 2.9 13. Versos-chave: 2.9,10 e 3.12 “Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade; e estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo principado e potestade” “Portanto se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra” 14. Capitulo-chave : 3 15. Esboço de Colossenses Parte um: A supremacia de Cristo na igreja – 1.1 – 2.23 I. Introdução, 1.1-14 Saudação, gratidão e oração de Paulo, 1.1-14 II. A primazia de Cristo, 1.15 – 2.3 a. Primazia na Criação b. Primazia na redenção c. Primazia na igreja III. A liberdade em Cristo, 2.4-23 a. Liberto das palavras falazes b. Liberto de vãs filosofias c. Liberto do jugo dos homens d. Liberto da adoração imprópria e. Liberto da doutrina dos homens Parte dois: A submissão a Cristo na igreja – 3.1 – 4.18 I. A posição do crente, 3.1-4 II. A prática do crente, 3.5-4.6 a. Despojar do velho homem b. Revestir-se do novo homem c. Mandamentos pessoais para a santidade Na vida familiar, profissional e pública III. Conclusão, 4.7-18 a. Recomendação de Tiquico b. Saudação dos amigos de Paulo c. Apresentações sobre esta epístola 16. A PRIMEIRA CARTA AOS TESSALONICENSES Ao escrever a esta carta o objetivo do apostolo Paulo foi triplo: 1)Confirmar novos convertidos nas verdades fundamentais que já aprenderam. 2)Exortá-los a prosseguir na santidade. 3) Conforta-los quanto aos já falecidos. A segunda vinda de Cristo ocupa lugar de destaque nesta epistola. De passagem , a carta mostra a riqueza de doutrina do evangelismo primitivo. Durante uma missão de aproximadamente um mês, o apostolo ensinou todas as grandes doutrinas da fé cristã, a saber: Eleição, 1.4; Espírito Santo, 1.1,5,6;4.8;5.19; Segurança, 1.5; Trindade, 1.1,5,6; conversão, 1.9; segunda vinda de Cristo, 1.10; 2.19; 3.13; 4.14-17; 5.23; testemunho cristão, 2.12; 4.1; santidade na vida cristã, 4.3 etc. A igreja de Tessalônica possuía as três maiores virtude da vida cristã: A fé, a esperança e o amor – vide 1.3, foi escrita no ano 54, pouco depois da sua partida de Tessalônica (At 17.1-10). Robert Lee dá as seguintes divisões da Epístola: Capitulo 1. A vinda do Senhor, uma esperança inspiradora para o novato. Capitulo 2. A vinda do Senhor, uma esperança encorajadora para o fiel servo. Capitulo 3 a 4.12. A vinda do Senhor, uma esperança purificadora para o crente. Capitulo 4.13-18. A vinda do Senhor, uma esperança consoladora para o aflito. Capitulo 5. A vinda do Senhor, uma esperança despertadora para o cristão sonolento 17. ANALISE DE I TESSALONICENSES I. Introdução 1. uma palavra de exultação, 1.2-10 1.1. Por causa do amor que servia 1.2. Por causa da fé que recebia 1.3. Por causa da esperança que perseverava 2. Uma palavra de explicação, 2 e 3 2.1. Difamação e sofrimento, 2.1-16 2.2. Noticias e agradecimento, 2.17 e 3.10 2.3. oração e propósito, 3.11-13 3. Uma palavra de exortação, 4 a 5.24 3.1. Com respeito a conduta cristã, 4.1-12 3.2. Com respeito ao conforto cristão, 4.13 a 5.11 3.3. Com respeito à concordância cristã, 5.12-24 4. Conclusão, 5.25-28 José Carlos Alexandre, Pr.

2 comentários:

  1. A paz de Cristo amado,gostaria de indicar meu blog:willian bugiga,e o site www.convertidos.com.br.
    Fique na paz.

    ResponderExcluir
  2. Ao visitar alguns blogs me deparei com o seu, e quero dar-lhe os parabéns por partilhar o seu saber, gostei por isso deixo aqui um convite:
    Ficaria radiante se visita-se o meu blog, e leia alguma coisa, meu blog é um blog cristão que fala de diversos assuntos.
    É o Peregrino E Servo.
    Desejo muita paz e saúde.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir