5 de dez de 2011

RETENDO FIRMEMENTE A PALAVRA EM MEIO AO SECULARISMO

RETENDO FIRMEMENTE A PALAVRA EM MEIO AO SECULARISMO

Retendo a Palavra da vida; para que no dia de Cristo eu tenha motivo de gloriar-me de que não foi em vão que trabalhei – Filipenses 2.16

Por esta causa te deixei em Creta, para que pusseses em ordem as coisas restantes, bem como, em cada cidade, constituísses presbíteros, conforme te prescrevi; Retendo firme a Palavra Fiel que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para exortar na sã doutrina, como convencer os constradizentes – Tito 1.5,9

Não vos conformeis com este mundo, mas transofrmai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus – Romanos 12.2

INTRODUÇÃO
Estamos passando por momentos de profundas transformações no cenário religioso. Atualmente, podem ser detectados três fortes movimentos que convivem, disputam, dialogam entre si no constexto da religião brasileira: A explosão do fenômeno religioso, a desconfiança na instituição religiosa e a secularização da igreja.

O primeiro movimento é a conseqüência da difusão do sagrado. O aumento das denominações evangélicas, das seitas cristãs, das religiões orientais, entre outros comprovam o fato. O sagrado está tão difuso, tão badalado que o cidadão comum não consegue diferenciar a verdadeira religiosidade da falsa. É possível ouvir jargões dos movimentos pentecostais sendo pronunciados; camisetas trazem estampados dizeres evangélicos; musicas cristãs são remixadas com ritmos dançantes; igrejas tranformam-se em salões de dança, cujas programações destinadas à juventude se confundem com funk, hip hop, new wave e outros ritmos e tendências musicais.

O segundo movimento trata de uma resposta racionalista as contradições do fenômeno religioso. Dizem os seus adeptos que as pessoas acreditam mais nos cartomantes, nos duendes e nas benzedeiras que nos cientistas. É uma conseqüência do fenômeno religioso.

O terceiro movimento consiste na vulgarização da fé, na dessacralização do sagrado e no uso da industria cultural como veiculo de propagação de um evangelho sem Cristo e um cristianismo sem ética bíblica.

I. ETIMOLOGIA
1. Secularismo
Provém do latim saeculum e significa “pertencente a uma era”.Nos círculos religiosos, recebe o snetido de “aquilo que pertence ao nosso tempo” e que não faz parte do que é sagrado ou espiritual.
Definindo melhor, secular é aquilo que pertence à maneira de viver deste mundo, e não à maneira de viver do mundo vindouro; é algo que não comunga com os interesses espirituais do Reino de Deus. Torna o que é sagrado profano; o religioso se torna mundano; as pessoas, coisas, funções e instituições consagradas se tornam desconsagradas.
Eis a razão porque o apostolo Paulo tanto nos orienta a retermos firmemente a Palavra de Deus em nossos corações, pois estamos diante de um grande desafio e precisamos enfrentar e vencer. Cabe a igreja do Senhor Jesus, não abrir mão dos princípios da Palavra de Deus e coloca-los cada vez mais em prática, o conselho divino é: “Tu porém permance naquilo que aprendestes” A igreja tem que continuar na sua gloriosa missão de pregar e ensinar a Palavra de Deus – Mc 16.15; Mt 28.19,20. Reter siginifica: ter ou manter firme; não deixar escapar da mão; segurar com firmeza; guardar em seu poder (o que é de outrem) etc.


II. DESAFIOS DA IGREJA DIANTE DO SECULARISMO
1. A influência do mundanismo na igreja
manifestado em forma de apelo, fascínio, mistura, prazer e imitação, resultando nas perdas dos valores e virtudes cristãs, no enfraquecimento da igreja, tornando-a mera organização eclesiástica, sem vida e sem o poder do Espírito Santo.

2. A profanação do que é sagrado
Na igreja, o secularismo transparece quando o sagrado começa a ceder ao profano. Nas igrejas secularizadas, o Calvário não é mais pregado, o sangue de Cristo é descartado, o sofrimento e a cruz de Cristo são rejeitados porque ofendem o gosto estéticos dos secularizados. A cruz de Cristo é substituída pleo trono, e a confissão de pecados, pela proclamação das bênçãos terrenas.

3. A valorização do consumismo da fé
Os fundamentos da fé na igreja secularizada são abalados e por fim desabam, elas usam estratégias e oferecem prodsutos e serviços religiosos que atendam a preferência da maioria – I Co 3.11

III. AS CONSEQUÊNCIAS DO SECULARISMO
1. Perda de identidade
2. Valorização da forma, em vez do conteúdo
3. Inexistência do compromisso bíblico

IV. OS SINAIS VISIVEIS DO SECULARISMO
1. racionalismo – a razão é a autoridade máxima determinate
2. relativismo – tudo é relativo, nada é absoluto
3. pessimismo – não há visão nem esperança para o futuro
4. hedonismo – a ordem é fazer tudo aquilo que proporcione prazer
5. materialismo – não se harmoniza com a vontade de Deus revelada na Bíblia. Tudo está voltado para o beneficio próprio e para o efeito econômico.
6. individualismo – “eu sou dono do meu nariz”. Eu me viro sozinho
7. narcisismo – o cultivo do amor excessivo a si mesmo
8. ceticismo – o cristianismo foi experimento e não funcionou
9. pós-cristianismo – o cristianismo não faz parte do presente. Não fará parte do futuro. Só faz parte do passado.
10. pós-moderninadade – a coisa real é aquilo que os olhos podem enxergar. Tudo é real para quem vê.


Nenhum comentário:

Postar um comentário